Seguidores

terça-feira, 19 de julho de 2011

Oração a Santa Rosa de Lima




Gloriosa Santa Rosa de Lima,
Tu que soubeste o que é amar
A Jesus com um coração tão fino
e generoso ensína-nos tuas grandes 
virtudes para que, seguindo teu exemplo, 
possamos gozar da tua proteção 
na terra e de tua companhia no céu.
Amém.


Isabel Flores y de Oliva nasceu em Lima em 1586. Seus pais eram espanhóis que se mudaram para o Peru.O nome Rosa foi o apelido dado pela empregada da família, a índia Mariana, maravilhada pela extraordinária beleza da menina. Ela exclamou: “Você é bonita como uma rosa!”



Sua crisma foi ministrada por São Turíbio de Mongrovejo.



Levada à miséria com sua família, ainda na adolescência, ganhou a vida com o duro trabalho da lavoura e da costura, até altas horas da noite. Exatamente nessa situação de grande pobreza, apareceu-lhe a oportunidade de se tornar muito rica através de um casamento, mas Rosa o rejeitou por fidelidade a Jesus Cristo.



No jardim de sua casa, edificou um eremitério, uma pequena cela no fundo do quintal. A cama era um saco de estopa. Aos vinte anos entrou para a Ordem Terceira de São Domingos e fez os votos religiosos e passou a se chamar Rosa de Santa Maria. Foi modelo de vida penitente e de oração contínua na simplicidade da vida laical.



“Se não fosse mulher dedicar-me-ia inteiramente à salvação dos índios.”

Particularmente devota de Nossa Senhora, pediu a ela, de modo especial, pelo crescimento da Igreja, especialmente entre os índios americanos. Frequentemente visitava os enfermos e os pobres.



Sua vida foi rica em provações dolorosas, contudo Rosa jamais perdeu a serenidade, imitando Cristo pobre e crucificado. Quando doente, disse: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena porque a graça é o fruto da paciência.”



Como não conseguia explicar seus sentimentos, acrescentava: “Posso explicar só com o silêncio. O prazer e a felicidade que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto.” Ao mesmo tempo admitia: “Eu não acreditava que uma criatura pudesse ser acometida de tão grandes sofrimentos. Meu Deus, podes aumentar os sofrimentos, contando que aumentes meu amor por ti.”



Teve o conhecimento do dia em que morreria, por isso, a cada 24 de agosto, passava-o em oração e dizia: “ Este é o dia das minhas núpcias eternas.” Morreu em um deles, o do ano 1617, com 31 anos.



Canonizada em 1671, foi a primeira santa das Américas. É padroeira do Peru, de toda América Latina e das Ilhas Filipinas. (CA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário